MMA, UFC, opinião, notícias, artes marciais, vídeos, lutas e fotos

Coluna Saúde do atleta: Lesões ligamentares, um alerta ao lutador

Abordaremos nessa semana um tema que é relativamente frequente com os praticantes de MMA e nas lutas de chão: as lesões ligamentares.

Diferente de outros esportes na qual as lesões dos ligamentos ocorrem por mudanças de direção em alta velocidade ou saltos como o basquete, futebol e vôlei, no MMA a grande causa são os golpes com o intuito de finalização. A maioria destes na região do cotovelo, ombro, tornozelo e joelho.

Cada golpe aplicado possui um movimento específico com alavancas variadas, e quando este alcança uma amplitude maior do que fisiologicamente nossa articulação suporta, os ligamentos entram em tensão para estabilizar a região e é nesse momento que ocorrem as rupturas ligamentares. Em certos casos os movimentos são muito rápidos e o atleta não tem tempo de se defender, em outros, o lutador não desiste de uma imobilização para não perder a luta e os ligamentos entram em sofrimento e rompem.

Um belo exemplo dessa situação é a luta entre Frank Mir e Minotauro, que por não ter desistido,  teve seu úmero fraturado.

Como é o tratamento?   

Há uma falsa crença em que lesão ligamentar é sinônimo de cirurgia. Atualmente a maioria das lesões é tratada de forma conservadora com repouso e fisioterapia. A indicação do tratamento deve ser feita analisando se a lesão ligamentar foi completa ou não, e qual o grau de estabilidade que o ligamento rompido gera para a articulação.

Normalmente para uma lesão ligamentar parcial o tempo de recuperação se dá em média de 8 a 10 semanas, nos casos mais graves ou cirúrgicos o tempo pode variar de 4 a 6 meses.

Os sintomas mais comuns são:

– Instabilidade ou falseio

– Dor ao movimento de estresse do ligamento

– Dor a palpação do ligamento afetado

– edema ou derrame articular principalmente numa fase aguda

   O que fazer nessas situações?

A primeira providência a ser tomada caso você desconfie de uma lesão ligamentar é proteger e imobilizar a região associando gelo no local.  Um diagnóstico precoce é fundamental para a recuperação, por isso procure um médico o mais rápido possível.

O exame mais comum para se avaliar as roturas ligamentares é a ressonância magnética, associando-a com uma boa avaliação clínica determina a conduta do médico e do fisioterapeuta.

Para concluir temos que deixar claro que as lesões ligamentares na maioria dos casos não são um bicho de sete cabeças e são tratadas na fisioterapia. Um bom tratamento é essencial, pois lesões mal cuidadas evoluem para um quadro de instabilidade crônica da articulação e em muitos casos, a médio prazo , evoluem para lesão da cartilagem e artrose precoce.

Ft. Esp. Edgar Nunes

Gostou? Se interessa no assunto? Para acompanhar esses e outros artigos acesse o site do nosso brother Edgar: www.saudedoatleta.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s