MMA, UFC, opinião, notícias, artes marciais, vídeos, lutas e fotos

“Peguei o lado bom da derrota, mas preferia ganhar”, diz Fabio Maldonado com sede de vitória

https://i2.wp.com/p2.trrsf.com.br/image/fget/cf/619/464/img.terra.com.br/i/2012/10/12/2594862-1399-rec.jpg

Atleta, que lutará com Roger Hollett no UFC Santa Catarina fala sobre seu treinamento e o desejo de vencer

Anunciado na última semana para enfrentar o canadense Roger Hollett, no dia 18 de maio, pelo UFC on FX 8, em Jaraguá do Sul (SC), o Bad Boy Fábio Maldonado fará boa parte de seu treinamento em São Paulo, na franquia da Team Nogueira que será inaugurada na próxima segunda-feira (18). Conhecido por ser um dos atletas com “o queixo mais duro” do UFC, Maldonado busca agora uma vitória, para apagar sua derrota contra Glover Teixeira no UFC Rio 3.

“Peguei o lado bom da derrota, mas preferia ganhar. Estou em busca da vitória, estou treinando muito, sempre venci mais do que perdi. Estava com vergonha quando acabou a luta. No 1º round eu estava muito grogue. No segundo já estava melhor. Eu me recuperei apanhando. Você faz muitos exames para poder lutar no UFC. Você tem que aguentar. Eu não queria que a luta parasse, eu queria ser feliz. Eu sou feliz no octógono. A gente nunca desiste, está no nosso sangue. No sangue brasileiro. Mas o MMA é imprevisível”, comentou o atleta.

Agora se preparando para o confronto com Roger Hollet, Maldonado pretende afiar ainda mais a sua luta em pé: “Meu próximo camp farei em São Paulo. Meu boxe estava fraco. Melhorei muito no chão, mas agora quero atualizar meu boxe. Lutar com mais agressividade, retomar os reflexos que tinha quando lutava boxe. São Paulo tem muitos atletas e muitas academias boas. Farei a maior parte do meu camp aqui na Team Nogueira São Paulo, mas passarei duas ou três semanas treinando no Rio de Janeiro”.

O atleta, que é muito amigo de Wagner Caldeirão, comentou também a demissão do colega e mais uma vez fez questão de dizer que não lutaria com um amigo sem uma disputa de título em jogo. “Estávamos juntos uma semana antes de começarem a falar que queriam uma luta entre nós. A gente só se enfrentaria se fosse para chegar ao cinturão. Mas da forma que estávamos, os dois vindo de derrota, não lutaríamos juntos. O Caldeirão é batalhador, o que faltou pra ele foi experiência. Eu já lutei com o Marajó, que lutou com o Caldeirão, ele me deu uma canelada e quebrou a canela na minha cabeça”, contou.

Maldonado também explicou que tenta ser profissional tanto dentro quanto fora do octógono, mantendo sua rotina de treinamento e alimentação. Questionado sobre os recentes casos de atletas pegos no doping, ele afirmou que isso é negativo para a imagem do esporte e falou sobre o caso dos atletas que fazem tratamento de reposição hormonal.

“Isso é doping legal. Se pode, pode. Quem sou eu pra dizer alguma coisa. Mas, que eu saiba, isso é reflexo de muita bomba no passado, aí o atleta precisa tomar para repor”, finaliza.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s