MMA, UFC, opinião, notícias, artes marciais, vídeos, lutas e fotos

TUF Brasil décimo segundo episódio: Rony Jason vence Hugo Wolverine

A primeira final do The Ultimate Fighter Brasil: Em busca de campeões está definida, e o vencedor será cearense. Rony Jason, de Quixadá, se classificou para enfrentar o conterrâneo Godofredo Pepey, de Fortaleza, ao derrotar o baiano Hugo Wolverine por decisão unânime dos jurados, no episódio deste domingo. Os dois representantes do Ceará decidem o título dos pesos-penas no UFC 147, no próximo dia 23 de junho, no ginásio Mineirinho, em Belo Horizonte.

Acompanhe o Episódio na integra em um link disponibilizado após o meio dia,aqui no monstermma!


Além de uma das lutas mais equilibradas da primeira temporada do reality show, o episódio deste domingo contou com as visitas ilustres de três lutadores do Ultimate: Rodrigo Minotauro, Rogério Minotouro e Maurício Shogun. Os irmãos Nogueira apareceram com camisas verdes, da equipe de Vitor Belfort, mas demonstraram apoio a um lutador do time azul, de Wanderlei Silva. Já Shogun fez como Anderson Silva e foi direto para o lado de Wand, seu companheiro de treinos desde os tempos da academia Chute Boxe.

O episódio: confinamento já desgasta lutadores

Após as primeiras semifinais de cada peso, era a vez da definição do segundo finalista da categoria pena. Rony Jason e Hugo Wolverine treinavam duro para seu duelo, enquanto mostravam suas personalidades. A humildade e tenacidade de Jason mereceram elogios de seus treinadores no time azul.

– O Jason é humilde para c… Mora na academia, não tem casa. Cara sofrido para c… Sozinho – comentou Wanderlei Silva.

– Ele foi para dentro do Macarrão, foi para dentro do Massaranduba… De pé, não quis nem botar para baixo. Ficou trocando de pé. Até eu pedindo para ele, “Menos, Jason” – contou Rafael Cordeiro.

No time verde, Vitor Belfort celebrou o jeito “amoroso” de Wolverine, que, segundo ele, aplicou massagens em todos os integrantes da casa. O lutador baiano admitiu que o combate da noite seria cheio de estratégia.

– É uma luta que vou tentar manter no alto e desferir bastante chute. Vou tentar soltar um pouco meu taekwondo, soltar um pouco minha perna. Minha mão está muito afiada, vou trabalhar bem o boxe e entrar com um jogo de perna bom. O nocaute é consequência. O importante é pontuar e conectar os golpes – detalhou Wolverine.

Na casa, ambos confessaram desgaste com o confinamento e uma ansiedade pelo final do programa e pelo reencontro com suas famílias.

– Até que enfim está acabando! Meu amigo, é muito sofrimento. Sofrimento de bater o peso, saber lidar com cada pessoa… Estou doido para sair daqui e ver minha família, meus amigos, meus filhos – admitiu Jason.

Visitas “de peso” antes e depois da pesagem

Se era família que Jason queria ver, ele recebeu seu desejo no dia da pesagem, com a visita dos irmãos Rodrigo Minotauro e Rogério Minotouro, lutadores do UFC e donos da equipe em que atua, a Team Nogueira. Os gêmeos rasgaram elogios ao peso-pena, que tem uma tatuagem com o símbolo do time no ombro direito.

– O Jason é um grande talento. Sem dúvida, é o maior talento que tenho na minha academia – afirmou Rodrigo Minotauro.

– Eu tenho o Jason como se fosse da minha família. Fico emocionado de vir aqui e visitá-lo numa hora em que vai fazer uma luta tão importante em sua vida – acrescentou Rogério Minotouro.

Jason, todavia, exigiu que os irmãos, que chegaram com a camisa verde do time de Belfort, vestissem a camisa azul da equipe de Wanderlei para apoiá-lo. O pedido foi cumprido por Fabrício Werdum, um dos treinadores do Time Wanderlei, que botou a blusa azul em Minotouro à força.

Na pesagem, Rony Jason marcou 66,2kg, bem no limite da libra extra (455g) de tolerância para a categoria – o valor exato da divisão é de 65,8kg. Hugo Wolverine, por sua vez, pesou 66kg. Na encarada, Jason manteve a guarda baixa, com as mãos na cintura, enquanto Wolverine armou a postura de luta, com os punhos na altura do peito. Logo depois, os adversários se cumprimentaram e se abraçaram.

No dia da luta, foi a vez de Maurício Shogun, ex-campeão dos pesos-meio-pesados, visitar a casa e acompanhar os lutadores no café da manhã. O lutador se despediu do grupo antes de seguir para o CT, no qual se juntou ao time de Wanderlei Silva, formado por seus velhos companheiros da academia Chute Boxe. Ele participou da entrada de Rony Jason no octógono.

A luta

Quase um minuto se passou antes que alguém tentasse o primeiro golpe, que veio de Wolverine, numa sequência simples de boxe. Como havia dito na casa, o baiano começou o combate focando nos socos, para tentar atrair Jason a catar suas pernas. O cearense, por sua vez, tinha dificuldades em achar a distância certa para seus chutes. Wolverine soube usar a aproximação do rival para desferir boas combinações de direita e esquerda. Jason enfim achou a distância com um chute alto nas costas e, após acertar uma joelhada voadora que sangrou o nariz do adversário, abriu os braços, como se provocando o atleta de verde. O baiano respondeu com uma joelhada e dois socos, acertando inadvertidamente o olho do lutador do time azul. Após um tempo para atendimento médico, o combate reiniciou e o cearense conseguiu uma queda nosdez segundos finais, mas foi pouco tempo para evoluir no chão.

O primeiro minuto do segundo round foi, novamente, de muito estudo. Desta vez, foi Rony Jason quem atacou primeiro, com um pisão frontal. Pouco depois, o atleta do time azul acertou um chute frontal alto que quase derrubou Wolverine e partiu para cima. O cearense ainda encaixou outra joelhada voadora e um cruzado de direita que desequilibrou o baiano. O lutador do time verde, porém, se recuperou e, mais tarde, tentou um chute frontal voador, bem defendido pelo adversário, que ganhava confiança e provocava abrindo os braços. Com pouco menos de dois minutos restando, Wolverine desferiu um “Superman punch” de direita que abriu um grande corte sobre o olho esquerdo de Jason. O cearense passou no vazio com um soco rodado e, novamente, só tentou uma queda no minuto final. Ele prendeu Wolverine contra a grade, mas fez pouco antes do soar do gongo.

Antes do terceiro round, o árbitro Mário Yamasaki avisou Rony Jason para tomar cuidado com o corte no olho esquerdo, ou teria de chamar o médico. O juiz autorizou o reinício do combate, mas os dois lutadores se abraçaram antes de trocarem golpes.

Wolverine acertou os primeiros golpes de encontro no boxe, mas Jason respondeu com uma boa joelhada e um chute alto. O atleta do time azul quase caiu numa rasteira de Wolverine, contragolpe a um de seus chutes altos, mas se manteve em pé. A luta seguia parelha e o lutador do Time Vitor tinha leve vantagem no boxe. No último minuto, porém, o baiano tentou um “Superman punch” e acabou levando um golpe de encontro no contra-ataque. Jason, mais uma vez, buscou uma queda para encerrar o combate e manteve o adversário sob controle. Ao soar do gongo, ambos levantaram os braços e o lutador do Time Wanderlei se jogou no chão, exausto.

O anúncio oficial de Yamasaki apontou Rony Jason como vencedor, por decisão unânime dos juízes laterais. O cearense de Quixadá se ajoelhou, emocionado, e ao sair do octógono, abraçou Godofredo Pepey, outro finalista da categoria e seu companheiro no Time Wanderlei.

– Na final, com certeza podem esperar um Jason mais afiado em pé e mais afiado no chão. Estou no UFC, cara. Não tem sonho melhor que este. Eu podia ter saído daqui sem um braço e sem uma perna que ainda estaria valendo – afirmou Jason, que dedicou a vitória ao irmão Yuri, que passa por dificuldades com a dependência química em crack.

No vestiário, Wolverine agradeceu ao apoio dos companheiros e pediu desculpas à equipe, aos prantos.

– A derrota é um grande mestre e estou aprendendo. Agora é bola para frente e continuar minha jornada de guerreiro – disse o baiano.

Palavras finais dos semifinalistas restantes

Com a final dos pesos-penas definida, resta uma semifinal dos pesos-médios, entre Tiago Bodão e Cezar Mutante. Os dois lutadores falaram sobre suas expectativas para a luta do próximo episódio.

– Essa luta vai mudar minha vida drasticamente. Estou a poucos passos de realizar meu sonho, que é lutar no UFC e assinar contrato, e tenho o Mutante no meu caminho – declarou Bodão.

Mutante foi taxativo:

– Não estou subestimando adversário, estou acreditando em mim. Eu acredito que posso vencer, e vou vencer. Vou entrar lá para nocautear ou finalizar o Bodão – disparou Mutante.

(Fonte: sportv.globo.com )

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s