MMA, UFC, opinião, notícias, artes marciais, vídeos, lutas e fotos

Rony Jason finaliza Gasparzinho e Wanderlei discute com Belfort

O ditado popular “amigos, amigos, negócios à parte” foi bem representado no sétimo episódio do TUF Brasil, exibido neste domingo pela TV Globo. Companheiros de longa data, Rony Jason e Anistávio Gasparzinho se enfrentaram na disputa da última vaga das semifinais dos pesos-pena e lutaram para valer. Jason venceu Gasparzinho por finalização, e a chave de braço aplicada pelo cearense machucou o braço esquerdo do potiguar, que sofreu um estiramento e teve que imobilizar o local.

Essa foi a primeira vitória do time comandado por Wanderlei Silva. A equipe de Vitor Belfort, entretanto, continua na frente com cinco triunfos. Os treinadores, inclusive, voltaram a discutir. O motivo foi exatamente a última luta dos penas. Wanderlei não se conteve ao ver Gasparzinho, que é do time de Belfort, machucado, e culpou o rival. Ambos tiveram de ser separados pelos demais integrantes das comissões técnicas.

O episódio

O anúncio da luta do programa deste domingo foi uma mera formalidade. Como três combates do peso-pena já tinham sido disputados, restaram apenas Rony Jason, do Time Wanderlei, e Anistávio Gasparzinho, do Time Vitor. Ambos se encararam após Belfort confirmar o duelo. A princípio, eles ficaram sem graça, e pouco depois tiveram que segurar o riso.

– É uma luta meio meio chata para todos aqui, mas fazer o quê? Trabalho é trabalho – disse Wanderlei Silva.

Nos bastidores, Jason e Gasparzinho trataram o duelo com seriedade.

– Não vejo Gasparzinho como amigo, não vejo o Gasparzinho como nada agora. Apenas como um oponente que quer atrapalhar o sonho. (…) Deus queira que ele não tenha opinado para querer lutar comigo. Quiseram mexer com a minha cabeça. Mas não vai mudar em nada – declarou Jason.

Gasparzinho também confirmou que a luta é séria.

– Quero sair todo fod… De cara aberta… Mas quero sair com a vitória – avisou.

Na casa, Godofredo Pepey conversou com Gasparzinho, seu colega de equipe. Ele recordou que Rony Jason assistiu à luta do potiguar na primeira eliminatória e que o cearense comentou: “É ruim lutar com Gaspar porque não dá para saber o que ele vai fazer”. Pepey pediu para Gasparzinho usar isso a seu favor.

Rony Jason e Anistávio Gasparzinho foram para a pesagem oficial. O integrante da equipe de Wanderlei Silva teve de ficar pelado para atingir o limite da categoria: 66,2kg. De bermuda, Gasparzinho bateu o mesmo peso. Na encarada, ambos seguraram o riso mais uma vez.

Estratégia de motivação

Em dia de mais um treino na semana, Vitor Belfort reuniu o grupo e disse que dava nota dez para todos. Ele se virou para Gasparzinho e falou que a melhor maneira de respeitar o adversário é dando o seu melhor. Mas o técnico na verdade queria mesmo era fazer um anúncio. Ele inventou que recebeu uma ligação de Dana White. Segundo Belfort, o presidente do UFC lhe deu a opção de trocar dois lutadores de cada categoria. Tudo isso para motivar os atletas.

O Time Wanderlei estava em outro clima. Comandados por Fabricio Werdum, o grupo fez uma brincadeira com um pôster de Vitor Belfort, colocando bigode e chapéu com fitas isolantes. Werdum e Wand ficaram curiosos para saber a reação da equipe Vitor.

Vitor Belfort chegou ao local onde estava o pôster e riu da situação. O comandante do time verde não deu a mínima para a brincadeira e levou na boa.

– Achei legal – disse Belfort, rindo.

Gasparzinho e Mutante tomaram as dores de Belfort e reclamaram. Belfort aproveitou a situação para provocar Gasparzinho e pediu para que o seu lutador usasse isso como motivação para a luta.

A luta

O combate começou com uma leve trocação, e Rony Jason, que caminhou para o octógono com a tradicional máscara do personagem dos filmes de terror, foi o primeiro a acertar um soco. Gasparzinho precisou de alguns segundos para se recompor de um dedo acidental no olho e voltou com tudo. Ele partiu para cima, acertou um joelhada voadora e conseguiu colocar o rival para baixo. Mesmo em situação aparentemente adversa, Jason encaixou a chave de braço e segurou firme. Gasparzinho se levantou, tentando desesperdamente sair do golpe, mas não conseguiu se desvencilhar do oponente. Com muita dor no braço esquerdo, Gasparzinho gritou, e a luta terminou por finalização no primeiro round com a interrupção do árbitro Mario Yamasaki. O potiguar deixou o octógono com o braço imobilizado por conta de um estiramento no local.

Logo após o fim da luta, Wanderlei invadiu o octógono e disparou contra Vitor Belfort. Entre xingamentos de “falso” e “frouxo”, o treinador da equipe azul quis tirar satisfações com o rival por ele ter casado o duelo entre amigos, que terminou mal para Gasparzinho:

– Está satisfeito? Fazer os brothers brigarem… Os caras são amigos, para que fazer isso? Ele (Gasparzinho) falou que não queria lutar. (Vitor) É cheio de falar e falar que não falou. Isso é coisa de playboy, playboyzinho da p…!

Vitor, tentando manter a calma, justificou-se para o “Cachorro Louco” e pediu respeito:

– Não tem jeito. Você sabe disso, Wanderlei. Os dois vieram para lutar. Faz parte. Você acha que fui em que machuquei (Gasparzinho)? Me respeita, só isso.

Para as câmeras, Wand explicou o porquê de ter ficado irritado com a escolha de Vitor Belfort:

– Nós não lutamos entre amigos, entre caras da mesma equipe. Salvo exceção, como a final do programa, onde um ganharia contrato com o UFC. Eu tinha que botar isso para fora.

Belfort, no entanto, têm opinião contrária. Para ele, o desafeto só queria aparecer:

– Luto bem antes do que o Wanderlei. Quebrei paradigmas no esporte. Isso é uma competição. Eles se inscreveram na mesma categoria. No boxe e no judô é assim. Por que no MMA não vai ser? Não adianta, o cara (Wanderlei) quer aparecer. Isso aqui é esporte. Em junho, nós vamos lutar e ele vai ter o dia dele. Não vou me igualar ao Wanderlei de ficar batendo boca.

Gilbert Durinho, treinador de jiu-jítsu do time verde, afirmou que a reação de Wanderlei foi negativa muito em função também de estar “engasgado” com a derrota na primeira luta contra Belfort, há 14 anos.

– Desde 1998 ele quer a revanche. Desde lá ele é engasgado com o Vitor. Todo mundo sabe que o Vitor o nocauteou em 44 segundos. Até hoje ele é engasgado com isso. Ele perdeu, o time dele está perdendo. Então, o cara quer expressar isso.

Rony Jason, por outro lado, só pensava em comemorar a vitória. Ele deu um abraço e um beijo em Gasparzinho no vestiário e, diante das câmeras, mostrou confiança para a sequência do reality:

– Vou ser o campeão dessa p..! Fizeram covardia comigo e com ele. O resultado foi positivo. Infelizmente tive que vencer um grande amigo meu. Vou ser campeão agora. Ninguém me para!

(Fonte: sportv.globo.com )

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s